Novidades

Pandemia de ansiedade: e quando o medo é disfuncional?

Publicado: outubro, 2020

Nas unidades de saúde, os profissionais relatam um aumento significativo da procura por serviços psicológicos, a maioria com queixas de ansiedade. Muita gente se auto intitula ansioso, acreditando que possui comportamento disfuncional em razão disso. Mas será que a gente sabe diferenciar a ansiedade saudável dos transtornos de ansiedade?

Ansiedade saudável x Transtornos de ansiedade

A ansiedade, o medo e a preocupação são sentimentos totalmente naturais do ser humano, porque nos deixam em estado de alerta para situações novas, nos prevenindo do perigo. Trata-se de uma resposta do nosso organismo a situações sobre as quais não temos total controle e tememos falhar.

Nesse sentido, podemos dizer que todos nós já passamos por algum momento de ansiedade momentânea, quando ficamos nervosos toda vez que temos uma apresentação importante ou uma entrevista de emprego, por exemplo.

No entanto, para grande parte das pessoas, não é somente em situações como essas que os efeitos da ansiedade são sentidos em seus corpos. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), 9,3% da população brasileira sofre com transtornos de ansiedade.

Ao dizermos que uma pessoa possui transtorno de ansiedade, reconhecemos que até mesmo seus processos cognitivos estão comprometidos, já que existe uma série de crenças nucleares do indivíduo que o levam a ter pensamentos catastróficos em qualquer situação.

Tais pensamentos desencadeiam reações físicas como sudorese (suor em excesso), taquicardia (coração acelerado), dores musculares, dores de cabeça, problemas gástricos e digestivos, dentre outras complicações. Há ainda sintomas psicológicos e emocionais, como a falta de concentração, insônia, comprometimento da memória e instabilidade de humor, com irritabilidade e crises de choro sem motivo aparente.

Pessoas com transtornos de ansiedade normalmente apresentam reações desproporcionais às situações, sentindo muito mais medo e tensão do que o necessário e saudável. É aí que surgem o medo de interações sociais, as preocupações excessivas e o perfeccionismo exacerbado.

Ansiedade na pandemia: quando o medo vai além do normal

Como dissemos, é normal que algumas situações nos deixem mais apreensivos e tensos – tal como a pandemia do novo coronavírus.

Trata-se de uma doença nova, que os cientistas sabiam pouco a respeito e que pode ter consequências graves para nossa saúde. No entanto, é preciso saber quando a preocupação é exagerada.

No caso de pessoas com transtornos de ansiedade, pode acontecer de haver uma “certeza” de que será contagiada pelo vírus da Covid-19, mesmo tomando todos os cuidados necessários para a prevenção. Assim, seus pensamentos são tão danosos e recorrentes que acabam por induzir os sintomas físicos e fisiológicos da ansiedade citados anteriormente, reduzindo sua capacidade de realização de tarefas cotidianas, como trabalho ou estudo.

Lidando com a ansiedade

Se você se identificou com algum desses tópicos, lembre-se: não significa necessariamente que você sofra com transtornos de ansiedade. Somente um profissional (psicólogo ou psiquiatra) está habilitado para fazer esse diagnóstico.

No entanto, se você sente que seu nível de ansiedade tem afetado sua qualidade de vida, atrapalhando a realização de tarefas, desregulando seu sono e te deixando sempre tenso, não hesite em procurar ajuda. Profissionais da saúde mental irão oferecer as ferramentas necessárias para que você recupere o controle e se sinta melhor.

Uma das principais estratégias aplicadas em sessões de terapia psicológica, especialmente na abordagem TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental), é a identificação das situações que funcionam como gatilhos para os pensamentos negativos ou limitantes que levam às reações autonômicas (físicas, fisiológicas e emocionais) e geram comportamentos disfuncionais.

Entendendo o que te deixa ansioso, você será muito mais capaz de administrar os efeitos negativos em seu corpo e mente.

Lembre-se que tempos turbulentos sempre passam. Pode demorar, mas o temporal passa. O cenário externo logo irá melhorar e, enquanto isso, certifique-se de estar bem, para que você possa desfrutar da calmaria que virá!


Comentários no Facebook